Abandono em Vigário Geral

Uma praça com coreto tombado pelo estado, mas sem manutenção. Uma placa indica que ali tem uma academia da terceira idade, mas cadê? Um posto de saúde superlotado com pouca infraestrutura. Uma escola municipal instalada num local provisório desde 1992, sem equipe técnico-pedagógica, com fiação elétrica aparente, quadra sem cobertura e com cercas caídas. Em frente ao colégio, nenhuma sinalização de tráfego, o que já gerou vários atropelamentos. Esses são alguns dos problemas vividos pelos moradores de Vigário Geral e que foram constatados durante visita do nosso mandato hoje.

Vamos concentrar uma série de encaminhamentos para pressionar a prefeitura a atender as reivindicações que a população faz há anos. Entre as medidas parlamentares, faremos uma indicação legislativa – uma espécie de recomendação – para a melhoria da infraestrutura da Praça Catolé do Rocha e do coreto e requerimentos de informação sobre a academia da terceira idade e sobre a lista de escolas que estão na prioridade das obras.

Em 2015, saiu na imprensa uma reportagem sobre as precariedades da praça. Nela, João Ricardo de Mattos, dirigente da Associação de Moradores e Amigos de Vigário Geral (Amavig), que nos acompanhou durante a visita, relatou os mesmos problemas. Na época, a prefeitura informou que o serviço de reparo do coreto começaria em janeiro de 2016 e que seria programada a recuperação da quadra poliesportiva da praça. A gestão de Eduardo Paes acabou e nada foi feito. Esperamos que esta administração leve a sério as reivindicações dos moradores.

#EquipeTarcísioMotta
#SóALutaMudaAVida

Veja Também