CPI das Enchentes propõe integração entre secretarias, empresas públicas e moradores atingidos

CPI das Enchentes propõe que secretarias e empresas municipais vejam de perto os problemas das comunidades atingidas pelos temporais recentes e ajam de forma integrada para solucioná-los

Uma comissão composta por representantes de órgãos e empresas da prefeitura, como secretarias, Comlurb, Defesa e Rio-Águas, para visitar cada uma das comunidades atingidas e os solucionar problemas apontados pelos moradores. Esta foi a sugestão dos vereadores Tarcísio Motta, presidente da CPI das Enchentes, e Renato Cinco, relator, durante audiência pública realizada na última sexta-feira, 26 de abril, no plenário da Câmara Municipal do Rio de Janeiro.

A iniciativa, acolhida pelos secretários presentes, contará com o acompanhamento da CPI e da Defensoria Pública. Participaram da audiência o chefe de gabinete da Secretaria Municipal da Casa Civil, Felipe Ribeiro Ramalho, os secretários municipais de Conservação, Roberto Nascimento Silva, de Infraestrutura e Habitação, Sebastião Bruno, de Assistência Social e Direitos Humanos, João Mendes de Jesus, o chefe do Centro de Operações, Alexandre Cardeman, a defensora pública Maria Júlia Rocha e representantes de 11 comunidades que foram vitimadas pelos temporais recentes.

Moradores da Rocinha, Vidigal, Horto, Manguinhos, Jacarezinho, Fazenda Botafogo, Rio das Pedras, Jardim Maravilha e Barra de Guaratiba foram à tribuna para questionar e denunciar diversos problemas que vão desde a prevenção até a limpeza das áreas atingidas. Em Barra de Guaratiba, ainda não foi feita a remoção de escombros das chuvas de fevereiro. Na Rocinha, os próprios moradores realizaram um mutirão de limpeza. O Jardim Maravilha sofre com a drenagem ineficiente feita para as obras da Transoeste. “Se depender da prefeitura, a gente não vai ter ajuda nenhuma”, desabafou uma moradora do Horto.

Para Tarcísio Motta, as ações da prefeitura não são suficientes para evitar novos desastres: “Estamos diante de uma situação em que a prefeitura diz ‘Estamos fazendo’, mas não fazem o que é estrutural. É muito importante que o governo vá a Barra de Guaratiba ver as obras que estão faltando, vá ao Vidigal para resolver a retirada do lixo, vá ao Horto para solucionar  a drenagem do rio dos Macacos, por exemplo”.

A próxima sessão da CPI acontecerá no dia 2 de maio, às 13h, e contará com a apresentação de técnicos do Tribunal de Contas do Município sobre políticas públicas voltadas para o tema.