A Educação no plano de retomada da Prefeitura

Neste dia 01 de junho, ocorreu uma reunião da Câmara de Vereadores com o comitê científico da prefeitura que elaborou o plano de retomada das atividades na cidade do Rio de Janeiro.

Manifestamos nossa discordância com qualquer retomada nesse momento. Os dados disponíveis demonstram que a pandemia segue se espalhando em nossa cidade. Além disso, o plano de retomada se divide em fases de reabertura das atividades, mas os critérios de mudança entre as fases se baseiam em indicadores que ainda não são de domínio público, o que constitui um obstáculo para a atividade fiscalizadora do poder legislativo municipal. Nossa compreensão é que a retomada agora resultará na aceleração do contágio e na perda de vidas.

Ainda assim, buscamos informações sobre o que o plano prevê para as escolas do nosso município. Sobre isso, o superintendente da Vigilância Sanitária do município deu os seguintes detalhes:

1 – Na fase 3 da retomada (prevista para o início de julho), serão retomadas as atividades das creches para crianças acima de 2 anos cujos responsáveis comprovem que estão trabalhando, e também atividades para alunos de quinto e nono anos. Será estabelecido um rodízio para estes alunos, que realizarão apenas atividades de “tutoria”. O superintendente afirmou, ainda, que escolas sem condições sanitárias para a retomada poderão ter sua reabertura adiada.

2 – Na fase 4 (prevista para meados de julho), seriam retomadas, nos mesmo moldes, atividades para alunos da pré-escola, primeiro e segundo anos.

3 – Na fase 5 (prevista para o início de agosto), seriam retomadas atividades, nos mesmos moldes, para alunos do terceiro e quarto anos.

4 – Na fase 6 (prevista para meados de agosto), seriam retomadas atividades para as turmas de sexto, sétimo e oitavo anos.

5 – Todos os profissionais da educação que apresentem comorbidades não terão obrigação de comparecimento nas escolas e seguirão em trabalho remoto (sem maiores detalhes sobre isso).

Nos próximos dias serão definidos os protocolos sanitários para cada uma das fases e atividades.

Esses cinco itens abrem muitas novas dúvidas que não foram respondidas nessa primeira reunião. Também nos parece muito fora da realidade esperar que as escolas tenham, em tão curto espaço de tempo, condições para cumprir as regras de distanciamento, higiene e contato físico entre todos aqueles que convivem nas comunidades escolares.

No próximo dia 03 haverá uma reunião dos vereadores com a secretária de educação onde cobraremos um posicionamento contra essa medida, além do esclarecimento de novos pontos para possibilitar um posicionamento de profissionais da educação, estudantes e responsáveis diante desta proposta da prefeitura.

Mas ressaltamos que nossa posição é CONTRÁRIA às medidas de retomada nesse momento de expansão da pandemia. Nosso mandato estará na luta em defesa da vida

Vereador Tarcísio Motta (PSOL RJ)