Antes de cronograma de reabertura das escolas, Educação precisa de um planejamento!

Na tarde desta segunda, 22, estivemos em audiência pública pela Comissão de Educação da Câmara. Em pauta, a possibilidade de volta às aulas anunciada para o início de julho. Antes da reunião, já havíamos nos manisfestado contra essa absurda ideia. Inclusive, entregamos para a secretária de educação, Talma Suane, ofício assinado por vários mandatos e organizado em conjunto com diversos movimentos.

A secretária apontou que na próxima quarta-feira, 24, a prefeitura irá publicar decreto que joga o início das aulas para a segunda quinzena de agosto. Vitória? Nada disso. Não adianta qualquer cronograma sem haver planejamento prévio. O que ficou nítido foi que a data inicial para retomada das aulas foi decidida sem planejamento algum. E a definição da nova data significou apenas um adiamento sem qualquer elemento de planejamento.

Acreditamos que antes de qualquer cronograma de retorno às aulas, é preciso que a prefeitura apresente um plano, um programa construído em conjunto, respondendo a questões básicas: quais as condições materiais, de pessoal e de planejamento pedagógico que orientam o retorno das escolas?

Não sabemos quando a pandemia irá acabar, mas temos certeza de que as escolas não têm condições materiais, de pessoal e mesmo, de planejamento pedagógico para uma retomada em qualquer que seja a data. Estamos falando de vidas, de quase 1 milhão de pessoas que, se não houver planejamento e cuidado, estarão expostas ao vírus e à contaminação.