Ilha de Brocoió agora é área de interesse ecológico

Lei pretende garantir a preservação da biodiversidade na Baía de Guanabara

A Câmara Municipal do Rio de Janeiro aprovou nesta quarta-feira (19/05), projeto de lei que declara a Ilha do Brocoió, no arquipélago de Paquetá, como área de relevante interesse ecológico. De autoria do ex-vereador Renato Cinco e do vereador Tarcísio Motta (Psol), a iniciativa tem como objetivo proteger e preservar as espécies raras do local. Com essa nova condição, ficam proibidas construções ou atividades que firam o uso sustentável do ou a conservação da biodiversidade da região.

“Trata-se de uma ilha que faz parte da mais conservada da Baía de Guanabara, a Estação Ecológica da Guanabara, com manguezais que não sofreram com a intervenção urbana e seu entorno abriga espécies ameaçadas de extinção, como o boto-cinza. Por isso sua relevância ecológica é incontestável”, diz Tarcísio Motta, coautor do projeto, que seguirá para a sanção do prefeito Eduardo Paes.

A ilha também abriga o Palácio de Brocoió, residência oficial do Governo do Estado do Rio de Janeiro. Seus 200 mil metros quadrados já estiveram à venda por R$ 45 milhões durante o governo de Francisco Dornelles, mas não conseguiu comprador.

Área de relevante interesse ecológico (Arie) é um tipo de unidade de preservação, prevista no Plano Diretor e no Sistema Nacional de Unidades de Conservação, com pouca ou nenhuma ocupação humana e com objetivo de preservar ecossistemas naturais importantes e regular o uso sustentável dessas áreas.